12/04/2019 13h

Dom Henrique: A espiritualidade da Semana Santa

Artigo de nosso bispo diocesano, publicado originalmente na Revista 'Elo' do mês de abril de 2019
Dom Henrique A. de Lima, CSsR, bispo da Diocese de Dourados, beija a Cruz do Senhor durante a Celebração da Paixão, Catedral de Dourados (2018). Foto: Arquivo/RC Dom Henrique A. de Lima, CSsR, bispo da Diocese de Dourados, beija a Cruz do Senhor durante a Celebração da Paixão, Catedral de Dourados (2018). Foto: Arquivo/RC

Queridos irmãos e irmãs, saudações em Cristo Jesus. Neste mês, quero refletir com vocês a grande riqueza de vida, amor, entrega e compromisso, paixão e ressurreição de Jesus. Quero convidá-los a fazer uma caminhada espiritual pela Semana Santa.

DOMINGO DE RAMOS: Neste dia a liturgia recorda que, durante cinco semanas da Quaresma, preparamos os nossos corações pela Oração, pela Penitência e pela Caridade. Jesus realiza o mistério de sua morte e ressurreição, entrou em Jerusalém, sua cidade como um Rei do povo sofrido. Ele quis vivenciar isto, para que o povo O aclamasse como Rei. É uma grande festa e Jesus está consciente do que irá acontecer e está preparado.

QUINTA-FEIRA SANTA: abertura do Tríduo Pascal

Neste dia acontecem dois ritos litúrgicos importantíssimos para a Igreja: Missa do Crisma ou dos Santos Óleos e a Instituição da Santa Ceia.

a) Missa do Crisma: Dá-se a bênção do Óleo do Batismo, dos Enfermos e a Consagração do Óleo do Crisma. O bispo realiza a bênção e a consagração juntamente com seu clero e o Povo de Deus. Normalmente esta celebração é realizada na Catedral. A Renovação das Promessas Sacerdotais se dá por causa da Instituição da Santa Ceia. É oficialmente o dia do Sacerdote. Na diocese de Dourados a Missa do Crisma se dá na segunda-feira Santa.

b) Instituição da Santa Ceia e o Lava-Pés: Liturgia realizada sempre à noite neste dia. Jesus mostra aos discípulos o dom da Autoridade e do Serviço. Cabem aos presbíteros o direito e o dever de ministrar e apresentar as oferendas a Deus e pedir a transformação do pão e do vinho em Corpo e Sangue de Cristo e distribuí-los entre vós.

c) Vigília Pascal: Na Quinta Santa: na missa, após a Oração da Comunhão, as hóstias serão retiradas do Sacrário e colocadas no Altar da Vigília. As imagens serão cobertas e, é retirada a toalha do altar, relembrando a prisão de Jesus, no Horto das Oliveiras e todo o sofrimento que irá enfrentar até a morte na cruz. A Vigília Pascal é preparação para Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor Jesus. A Liturgia inicia com a invocação à Santíssima Trindade e, encerra com a bênção final no Sábado Santo, encerrando a Vigília Pascal.

SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO: Celebração da adoração de Cristo na Cruz

Esse dia é muito forte porque refletiremos e rezaremos a vida sofrida de uma pessoa inocente. Porém, devemos sempre lembrar que é um sofrimento que nos liberta de nossos pecados e nos leva à Luz pela Cruz de Cristo. Oportunizando-nos o recomeçar no discipulado.

SÁBADO SANTO: último dia da Vigília, em que se realiza uma grande e lindíssima celebração, resgatando toda a História da Teologia da Redenção, passando pela Criação, Noé, Abraão, todos os Profetas, relembrando a aliança do Senhor Javé com seu Povo, que culmina na pessoa de Jesus, o nosso Salvador. Nesta noite, entoa-se o Glória solenemente.

DOMINGO DA PÁSCOA: Dia da Ressurreição do Senhor Jesus. Toda liturgia quaresmal: Oração, Jejum e Penitência devem nos levar a este momento importantíssimo em nossas vidas e na vida da Igreja. Pela paixão, morte e ressurreição de Jesus, chamado de Mistério Pascal, nós recebemos o direto de sermos chamados de filhos amados de Deus. A Semana Santa é esse momento especialíssimo, para mergulharmos mais profundamente na compreensão do amor de Deus apaixonado pela humanidade, sua criação - Gêneses. Assim, cada detalhe litúrgico é muito rico e profundo. Esse gesto de Jesus deve-nos deixar apaixonados por Ele e por sua Missão.

Feliz Páscoa a cada um de vós!

Dom Henrique A. de Lima, CSsR

Bispo Diocesano de Dourados

Artigo de nosso bispo diocesano, publicado originalmente na Revista 'Elo' do mês de abril de 2019


Envie seu Comentário