27/06/2018 09h17

Páscoa Militar - Missa na Catedral de Dourados

A celebração foi presidia por Dom Fernando José Monteiro Guimarães, nomeado pelo Papa Francisco no dia 06 de agosto de 2014 como arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil
Da redação

Confira as fotos da celebração da santa missa da Páscoa Militar, realizada na tarde de terça-feira(26/06) na Catedral Imaculada Conceição de Dourados presidida por Dom Fernando José Monteiro Guimarães, nomeado pelo Papa Francisco no dia 06 de agosto de 2014 como arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil,

Páscoa dos Militares

A Páscoa dos Militares é a celebração da Páscoa pelos Militares brasileiros. Ela é comemorada fora de época, por concessão da Igreja, já que, à época da II Guerra Mundial, no período da Páscoa, os militares brasileiros estavam envolvidos em missões longe de casa ou escalados para serviços e não puderam participar desta festividade religiosa. Desta forma, a Páscoa dos Militares preserva a história do final da II Guerra, quando a Força Expedicionária Brasileira (FEB) retornou ao Brasil após o período pascal.[1] É permitido participar deste evento os segmentos católico, espírita e evangélico (cada um com uma festividade diferente), já que esta festividade tem por objetivo estimular o espírito de religiosidade e reafirmar os valores cristãos dos militares.[2]

Para conciliar o calendário com as escalas de serviço das Forças Armadas, convencionou-se que a Páscoa dos Militares seria no período diferente do tradicional. As celebrações acontecem em datas determinadas em cada região, de acordo com o Arcebispado Militar do Brasil, com sede na capital federal. Com relação ao cerimonial, ele é respaldado de acordo com a hierarquia militar.[3]

Dom Fernando José Monteiro Guimarães, nomeado pelo Papa Francisco no dia  06 de agosto de 2014 como arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil Dom Fernando José Monteiro Guimarães, nomeado pelo Papa Francisco no dia 06 de agosto de 2014 como arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil

História

A "Páscoa fora de época" existe para os Militares desde 1945.[4], e, conforme a Portaria 14-DGP de 05/03/02 em seu Artigo 13, Inciso I, deve ser celebrada no período litúrgico pascal, ou mais tardar até 12 de outubro.

Após a Segunda Guerra Mundial, quando militares retornaram ao Brasil, o período de Páscoa já havia passado, levando assim as Forças Armadas a celebrarem uma missa na Praça XV, no Rio de Janeiro, para comemorar com seus familiares, mesmo fora do tempo pascal.[5] Naquela ocasião, a data diferenciada foi estabelecida com a finalidade de conciliar a comemoração da tradicional festa religiosa que, muitas vezes, ficava comprometida pelo cumprimento das diversas escalas de serviço e missões.[6]

Segundo Dom Fernando Guimarães, arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil, do Ministério da Defesa (MD), a origem da Páscoa dos Militares "nasce no desejo dos nossos pracinhas ao retorno da campanha militar da 2ª Guerra Mundial, quando, na Itália, se viram impedidos de celebrar a Páscoa da Ressurreição no dia exato, domingo de Páscoa. Ao voltar, antes de se separar, eles quiseram celebrar a Páscoa de Jesus e, na vitória de Jesus sobre a morte, celebrar e agradecer a vitória das Forças Aliadas contra o nazifascismo; agradecer e pedir a Deus pelos irmãos febianos e pelos outros militares caídos no campo de batalha; e olhar para o mundo novo que o término do conflito mundial abria para humanidade".[1]

Fonte : wikipedia.org

Fotos Estanislau Sanábria


Envie seu Comentário