Exame da OAB está próximo de ser extinto


No último Exame da Ordem, duas das três universidades de Direito de Dourados aprovaram apenas 10% de seus alunos
Do site de notícias MS JÁ
Após aceito o parecer, o processo que contesta o Exame de Ordem retornará ao gabinete do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal. Não há data prevista para o julgamento. Após aceito o parecer, o processo que contesta o Exame de Ordem retornará ao gabinete do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal. Não há data prevista para o julgamento.

Foi encaminhado pelo subprocurador geral da República, Rodrigo Janot e incluído no processo pelo Supremo Tribunal Federal (STF) o parecer dele concluindo a incostitucionalidade da exigência de aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para exercício da advocacia.

No parecer, Janot afirmou que não está em debate a necessidade de inscrição do bacharel em Direito nos quadros da OAB como requisito indispensável para o exercício da advocacia e sim, a constitucionalidade da exigência de submissão e aprovação no exame para admissão na OAB e a delegação ao Conselho Federal da Ordem para regulamentação da prova.

Apesar de ser o “pesadelo” de muitos bacharéis que pretendem seguir o exercício da advocacia, alguns acreditam ser estritamente importante a aprovação no exame para a qualificação profissional.

A acadêmica Jaqueline Silva cursa o último semestre do curso de Direito, e é a favor da obrigação do exame. Para ela, a medida “filtra” os futuros profissionais. “Se não existir o exame da OAB, milhares de advogados estarão no mercado de trabalho sem nenhuma avaliação de conhecimento”, disse.

Mesma opinião de Rafael Rocha, que vê como fundamental a prova. “Como uma pessoa pode estar qualificada para o mercado de trabalho se ela não consegue passar pelo teste? É claro que a qualidade profissional dela não é medida por uma prova, mas, evitaria pessoas despreparadas de ingressar na profissão”, comentou.

Após aceito o parecer, o processo que contesta o Exame de Ordem retornará ao gabinete do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal. Não há data prevista para o julgamento.

Exame da Ordem em Dourados

No último Exame da Ordem, duas das três universidades de Direito de Dourados aprovaram apenas 10% de seus alunos, porém, o melhor resultado do Estado é de Dourados, da Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD (29%).

Já a Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul ficou em segundo na cidade e em terceiro no Estado, com com 14,29%. A terceira foi a Unigran, com 6,3%, o que lhe rendeu também o 4º lugar entre as cinco melhores particulares do Estado.

Desde o ano passado, a prova é nacional, unificada, e realizada pela Fundação Getulio Vargas. No Estado, três universidades ficaram entre as 90 que não conseguiram alcançar a média exigida pelo MEC. (Faculdades Integradas de Paranaíba – Fipar, o Instituto Campo Grande de Ensino Superior – ICGES e Instituto Mato Grosso do Sul de Educação e Cultura – Ismec).

Veja abaixo as melhores do Estado

UFGD - 29%

UFMS - 27%

UEMS- 14,29%

Unaes - 12,45%

UCDB - 12%

Faculdade Salesiana de Santa Teresa de Corumbá - 11%

Unigran - 6,30%

Uniderp - 6,08%

Em todo o Brasil fizeram o exame 106.891 bacharéis em direito e só 12.534 passaram. Existem 1.120 cursos superiores de Direito no Brasil, oferecendo um total de 650 mil vagas.

Nacional

A Universidade de Brasília (UnB) é a campeã em desempenho. Dos 43 alunos formados pela universidade que fizeram as provas, 29 receberam a carteira da Ordem dos Advogados, o que representa índice de 67,4% de sucesso. O segundo e terceiro lugares são de universidade federais mineiras. A Federal de Juiz de Fora obteve índice de 67,3% de aprovação e a Federal de Minas Gerais, 65,3%. A USP aparece em quarto lugar (63,4%), seguida da Federal do Piauí (60,9%).

(175) Comentários

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.
 

A profissão de advogado já foi boa de se dar bem profissionalmente.., mas hoje esta numa esfera muito decadente.
Se eliminar esse exame.. e abrir as comportas para todos bacharéis de direito.. uma imensa parte com certeza ira procurar outras áreas para trabalhar.
Quem inicia com a carteira só poderá entrar na fila de assistencias gratuidas no mês de dezembro, e quem pode pagar um advogado novo?

 
Marcos Ney em 23 de maio de 2016 às 15:12

Para quem defende que o exame "filtra" os bacharéis em direito, o que dizer então quando você for a um médico?
Se isso filtrasse qualidade deveríamos ter o mesmo teste para os médicos. Não preciso ser muito inteligente para perceber que a renda da OAB é altamente lucrativa com essas provas e daí o real motivo da permanência da mesma.
Sou formado em DIREITO e afirmo: ELA NÃO MEDE CAPACIDADE!

 
CARLOS SOUA em 18 de maio de 2016 às 19:38

Meus amigos o problema é bem simples. Não estamos num Estado Democrático de Direito, onde
a vontade da maioria deve prevalecer? Então que obedeçam a Constituição e a vontade da maioria
eliminando a prova de caráter eliminatório da OAB.

 
Adilson Neundorf em 06 de abril de 2016 às 09:13

Deixem os bacharéis trabalhar como advogado, já fomos avaliados na faculdade.
Chega de impedir o livre exercício da profissão.

 
Adilson Neundorf em 04 de março de 2016 às 14:42

Se temos uma Constituição que regem as normas e condutas deste país, então temos que obedece-la.
Um bom advogado vai ser determinado pela sua formação na Faculdade e pelo exercício da ética E da moral.
A OAB não tem competência nem para fiscalizar os advogados filiados, qto mais ter capacidade de avaliar ninguém.
Quem tem competência pra isso é o MEC e não a OAB.

 
Hosanildo Diógenes em 26 de fevereiro de 2016 às 18:04

O problema do Exame de Ordem é que muitas vezes eles pedem peças que contêm erros que prejudicam a identificação da peça correta pelo candidato.
De Exame em Exame uma matéria seja de Tributário, Constitucional ou Civil vem com um texto em que torna-se praticamente impossível definir com certeza qual seria
a peça cabível. Resultado disso, são as reprovações em massa.

 
Anderson Duarte em 26 de fevereiro de 2016 às 16:39

Boa tarde a todos, concordo com a maioria dos comentários, onde pedem o fim do exame de ordem que na verdade não qualifica ninguém, visto que entes de 1994 não era exigido o exame de ordem e sempre teve bons profissionais.
Doravante se naquela época não era exigido tal exame e haviam profissionais de respeito, isto prova que a exigência do referido exame além de afrontar a Constituição por si só

 
José Geronimo em 24 de fevereiro de 2016 às 17:06

MAIS UMA VEZ VENHO PERGUNTAR - PARA QUE SERVE O ESTATUTO DA OAB???, se o profissional é INEPTO para a atividade, é só cassar sua licença e pronto, agora, este papo, que o EXAME É PARA FILTRAR, RECICLAR OS MELHORES, se fosse assim, não teríamos tantas TRAPALHADAS NOS TRIBUNAIS e clientes insatisfeitos pela falta de competência de alguns, então, estes TRAPALHÕES, estão de carteirinha, e ai???

 
ROBERTO C. DIAS em 15 de fevereiro de 2016 às 16:27

Acorda do sonho Brasil e vamos viver a realidade da Legislação vigente na integra:
OAB/BRASIL não é uma Escola de Formação Profissional, é um simples órgão de classe, como CREA, CRC e outras. Para exigir um exame para aprovar Advogados, este exame da OAB não visa Direito e Constitucionalidade ética legal, age criminosamente no anonimato e os que aprovam e apoiam este ato.
Estudos profundos do direito na CF/88, o demostra a Constitucionalidade pétrea para viver no Brasil!
Devemos lutar Juridicamente, para exigir que o Exame para avaliar Advogados no Brasil, vise o direito e a Constitucionalidade, tirar o mesmo da OAB/BRASIL e passar a uma entidade de ensino estatal, que guarneça o Ensino no Brasil, sendo ético e honesto com credibilidade no Brasil, direito legal e Constitucional é para ser cumprido, como o direito do MEC/BRASIL, sendo o mesmo conhecido e respeitado Internacionalmente, Administrado o Ensino Superior pelo MEC/BRASIL, sem a Corrupção e o furto no polo ativo como acontece há 22 anos no exame da OAB.
Desta forma chegamos à conclusão que nos Três Poderes do Brasil República, nos temos somente “Apolíticos Picaretas” que desconhecem o direito e a Legislação Vigente, nos três Poderes Constitucionais da República Brasileira, não o reconhecem e se omitem a aplicar na integra a Lei vigente Constitucional.
Conclusão: Nos Bacharéis em Direito no Brasil, não queremos o fim do exame para Advogar, e sim o que queremos realmente é o Direito Constitucional aplicado na integra, os Bacharéis em Direito tem direito a Justiça Social Constitucional no Brasil, a OAB/BRASIL não tem credencial do MEC/BRASIL, para submeter-se em aplicar as provas do exame de capacitação profissional para Advogar, como uma Escola de Nível Superior e formar Advogados, este ato é papel do MEC/Brasil, onde poderia inclusive cancelar e revogar todos os registros de Advogados na ativa pelo exame da OAB no Brasil, que o qual não tem valor reconhecido e refazer a prova novamente sendo avaliado a sua capacitação pelo MEC/BRASIL.
Curitiba/PR: 12 de fevereiro de 2016.
Ernani Kopper.
Bacharel em Direito.

 
Ernani Kopper em 12 de fevereiro de 2016 às 23:44

Como pode uma pessoa estudar CINCO anos e depois ser avaliada em CINCO horas, saliento que a avaliação é em todas as áreas do direito. Na realidade este exame só serve para arrecadar fundos para a elite da instituição, são mais de 100 mil bachareis em direito sendo tolhidos no direito de trabalhar. Quem pode dizer se um advogado é capacitado ou não são seus clientes e não uma instituição.

 
João da Silva em 09 de fevereiro de 2016 às 01:28

estou pensando em fazer direito mas estou esperando acabar com o exame da oab.hehehe

 
veveu em 08 de fevereiro de 2016 às 21:43

É uma vergonha o vice-presidente do Brasil defender esse exame se nao fez, quem nao fez nao tem legitimidade para defende-lo.

 
Jorge Santos da Silva em 13 de janeiro de 2016 às 21:18

tinha que acabar mesmo, OAB, ta parecendo sindicato,

 
mario jose em 28 de setembro de 2015 às 14:42

A OAB deveria ser uma entidade com a finalidade de garantir direitos as pessoas e não cerceá-los como faz. Na aplicação do exame obrigatório para ingresso na carreira de advogado, ela fere o Art. 6º da Constituição Federal de 1988, que garante o direito ao trabalho. Para mim isso não passa de reserva de mercado, totalmente ilegal.

 
ANTONIO ROBERTO SABIO em 06 de setembro de 2015 às 12:01

Tu tem o edital antecipado tem a internet que é melhor que qualquer professor. Crie disciplina estude e seja aprovado e faça valer o que na teoria já era pra você saber na durante faculdade. Brasileiro infelizmente que tudo na mão e que essas provas de avaliações profissionais sejam estendidas a todos os outros cursos pois quem ganha com melhores profissionais é a própria sociedade.

 
Felipe Alves em 23 de agosto de 2015 às 13:45

EXAME é Inconstitucional um caça níquel um cartel!!!
Deveriam todos os ilustres inscritos no quadro dos advogados até 1994, irem todos prestarem exame.

 
LEONI em 21 de agosto de 2015 às 15:51

Nossa.... a nova geração ta feia mesmo, a tecnologia ajudou muito, hoje se tem mais tecnologia, mas infelizmente diminuiu o numero de brasileiros ávidos por leitura, há os que depois de cursar anos num curso de Direito... nao consegue 50% de acertos na prova objetiva da OAB,e na prova Pratico-profissional ...de 10 pontos , nao consegue 6 pontos... ta feio mesmo,procure outra coisa pra fazer

 
Marcos em 14 de agosto de 2015 às 14:11

arrecadação de verbas em massa sem prestação de contas.MP já
e após uma minuciosa investigação sobre onde está as verbas arrecadadas durante todos
esses anos.promova verdadeiras formas de desenvolvimento intelectual para os recém formados
e para os formados a anos que não possuem condições de realizarem os caros preparatórios.

 
APA em 10 de agosto de 2015 às 10:56

Prezada Jaqueline e outros que pensam igual a você, quantos operadores de direito que tem a tão sonhada carteira, e são totalmente ignorantes e não sabem trabalhar. è lamentável ler de uma estudante de direito, que pode ficar sem passar anos na prova da OAB.

 
gilberto paulo garcia em 07 de agosto de 2015 às 08:27

Vocês podem imaginar quantas pessoas sem condições e sem conhecimentos necessitam de profissionais capacitados? Podem ter certeza de que quem é a favor da extinção do exame ordem, são aqueles que não passaram no exame, ou não gostam de estudar. Vcs estão querendo justificar algo errado. Escutem: SE FOR EXTINTO O EXAME SERÁ O CAOS E A DESTRUIÇÃO DO DIREITO!

 
W.L.G em 31 de julho de 2015 às 02:56
1 2 3 4 5 6 7 8 9