Exame da OAB está próximo de ser extinto


No último Exame da Ordem, duas das três universidades de Direito de Dourados aprovaram apenas 10% de seus alunos
Do site de notícias MS JÁ
Após aceito o parecer, o processo que contesta o Exame de Ordem retornará ao gabinete do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal. Não há data prevista para o julgamento. Após aceito o parecer, o processo que contesta o Exame de Ordem retornará ao gabinete do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal. Não há data prevista para o julgamento.

Foi encaminhado pelo subprocurador geral da República, Rodrigo Janot e incluído no processo pelo Supremo Tribunal Federal (STF) o parecer dele concluindo a incostitucionalidade da exigência de aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para exercício da advocacia.

No parecer, Janot afirmou que não está em debate a necessidade de inscrição do bacharel em Direito nos quadros da OAB como requisito indispensável para o exercício da advocacia e sim, a constitucionalidade da exigência de submissão e aprovação no exame para admissão na OAB e a delegação ao Conselho Federal da Ordem para regulamentação da prova.

Apesar de ser o “pesadelo” de muitos bacharéis que pretendem seguir o exercício da advocacia, alguns acreditam ser estritamente importante a aprovação no exame para a qualificação profissional.

A acadêmica Jaqueline Silva cursa o último semestre do curso de Direito, e é a favor da obrigação do exame. Para ela, a medida “filtra” os futuros profissionais. “Se não existir o exame da OAB, milhares de advogados estarão no mercado de trabalho sem nenhuma avaliação de conhecimento”, disse.

Mesma opinião de Rafael Rocha, que vê como fundamental a prova. “Como uma pessoa pode estar qualificada para o mercado de trabalho se ela não consegue passar pelo teste? É claro que a qualidade profissional dela não é medida por uma prova, mas, evitaria pessoas despreparadas de ingressar na profissão”, comentou.

Após aceito o parecer, o processo que contesta o Exame de Ordem retornará ao gabinete do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal. Não há data prevista para o julgamento.

Exame da Ordem em Dourados

No último Exame da Ordem, duas das três universidades de Direito de Dourados aprovaram apenas 10% de seus alunos, porém, o melhor resultado do Estado é de Dourados, da Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD (29%).

Já a Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul ficou em segundo na cidade e em terceiro no Estado, com com 14,29%. A terceira foi a Unigran, com 6,3%, o que lhe rendeu também o 4º lugar entre as cinco melhores particulares do Estado.

Desde o ano passado, a prova é nacional, unificada, e realizada pela Fundação Getulio Vargas. No Estado, três universidades ficaram entre as 90 que não conseguiram alcançar a média exigida pelo MEC. (Faculdades Integradas de Paranaíba – Fipar, o Instituto Campo Grande de Ensino Superior – ICGES e Instituto Mato Grosso do Sul de Educação e Cultura – Ismec).

Veja abaixo as melhores do Estado

UFGD - 29%

UFMS - 27%

UEMS- 14,29%

Unaes - 12,45%

UCDB - 12%

Faculdade Salesiana de Santa Teresa de Corumbá - 11%

Unigran - 6,30%

Uniderp - 6,08%

Em todo o Brasil fizeram o exame 106.891 bacharéis em direito e só 12.534 passaram. Existem 1.120 cursos superiores de Direito no Brasil, oferecendo um total de 650 mil vagas.

Nacional

A Universidade de Brasília (UnB) é a campeã em desempenho. Dos 43 alunos formados pela universidade que fizeram as provas, 29 receberam a carteira da Ordem dos Advogados, o que representa índice de 67,4% de sucesso. O segundo e terceiro lugares são de universidade federais mineiras. A Federal de Juiz de Fora obteve índice de 67,3% de aprovação e a Federal de Minas Gerais, 65,3%. A USP aparece em quarto lugar (63,4%), seguida da Federal do Piauí (60,9%).

(164) Comentários

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.
 

É uma vergonha o vice-presidente do Brasil defender esse exame se nao fez, quem nao fez nao tem legitimidade para defende-lo.

 
Jorge Santos da Silva em 13 de janeiro de 2016 às 21:18

tinha que acabar mesmo, OAB, ta parecendo sindicato,

 
mario jose em 28 de setembro de 2015 às 14:42

A OAB deveria ser uma entidade com a finalidade de garantir direitos as pessoas e não cerceá-los como faz. Na aplicação do exame obrigatório para ingresso na carreira de advogado, ela fere o Art. 6º da Constituição Federal de 1988, que garante o direito ao trabalho. Para mim isso não passa de reserva de mercado, totalmente ilegal.

 
ANTONIO ROBERTO SABIO em 06 de setembro de 2015 às 12:01

Tu tem o edital antecipado tem a internet que é melhor que qualquer professor. Crie disciplina estude e seja aprovado e faça valer o que na teoria já era pra você saber na durante faculdade. Brasileiro infelizmente que tudo na mão e que essas provas de avaliações profissionais sejam estendidas a todos os outros cursos pois quem ganha com melhores profissionais é a própria sociedade.

 
Felipe Alves em 23 de agosto de 2015 às 13:45

EXAME é Inconstitucional um caça níquel um cartel!!!
Deveriam todos os ilustres inscritos no quadro dos advogados até 1994, irem todos prestarem exame.

 
LEONI em 21 de agosto de 2015 às 15:51

Nossa.... a nova geração ta feia mesmo, a tecnologia ajudou muito, hoje se tem mais tecnologia, mas infelizmente diminuiu o numero de brasileiros ávidos por leitura, há os que depois de cursar anos num curso de Direito... nao consegue 50% de acertos na prova objetiva da OAB,e na prova Pratico-profissional ...de 10 pontos , nao consegue 6 pontos... ta feio mesmo,procure outra coisa pra fazer

 
Marcos em 14 de agosto de 2015 às 14:11

arrecadação de verbas em massa sem prestação de contas.MP já
e após uma minuciosa investigação sobre onde está as verbas arrecadadas durante todos
esses anos.promova verdadeiras formas de desenvolvimento intelectual para os recém formados
e para os formados a anos que não possuem condições de realizarem os caros preparatórios.

 
APA em 10 de agosto de 2015 às 10:56

Prezada Jaqueline e outros que pensam igual a você, quantos operadores de direito que tem a tão sonhada carteira, e são totalmente ignorantes e não sabem trabalhar. è lamentável ler de uma estudante de direito, que pode ficar sem passar anos na prova da OAB.

 
gilberto paulo garcia em 07 de agosto de 2015 às 08:27

Vocês podem imaginar quantas pessoas sem condições e sem conhecimentos necessitam de profissionais capacitados? Podem ter certeza de que quem é a favor da extinção do exame ordem, são aqueles que não passaram no exame, ou não gostam de estudar. Vcs estão querendo justificar algo errado. Escutem: SE FOR EXTINTO O EXAME SERÁ O CAOS E A DESTRUIÇÃO DO DIREITO!

 
W.L.G em 31 de julho de 2015 às 02:56

Porque só a Profissão de advogado exige uma qualificação proprias ?? e as demais profissões no Brasil ?
a defesa dos que impedem o fim da obrigatoriedade é que a prova seleciona os qualificados, que dizer então que os demais profissionais de outras áreas são todos desqualificados ? despreparados ? assim como as demais profissões existem bons proficionais e maus.

 
leandro marcos de melo em 21 de julho de 2015 às 12:44

Na verdade, o brasileiro precisa para de querer tudo fácil de mãos beijadas, essa mania de povo acomodado vai estudar gente , quer ser advogado lendo resumao ? Sim ao exame da OAB sempre!

 
leoncio medeiros em 09 de julho de 2015 às 17:36

É muito injusto esse exame da OAB, além de ser elaborado de forma a evitar mais advogados no mercado de trabalho, ainda dão a desculpa que Bacharéis podem exercer outra profissão. Que profissão é essa? Não decidiram ainda, a única profissão que vejo é de desempregado, pois no lugar onde moro ninguém quer empregar um Bacharel em direito, com medo de uma futura ação trabalhista. Isso é muito injusto e uma pouca vergonha! Mas o que esperar de um país como nosso? A pessoa se esforça na faculdade para nada o melhor seria então acabar com as faculdades de Direito e deixar só os cursos preparatórios para OAB, pois você se formando vai ser só um Bacharel desempregado mesmo.

 
Michelle Barroso em 24 de junho de 2015 às 21:40

A prova da Ordem tem que acabar por dois motivos: 1º ) Não é uma avaliação que vai qualificar um profissional e 2º) Abuso de poder da OAB sobre os acadêmicos.
Na minha opinião o Curso de Direito tem que ser em período integral, e tem que haver unificação grade de estudos. Toda matéria dada no 1º Ano na faculdade da PUC deve ser dada em outras faculdades do Pais.

 
Marcos em 22 de junho de 2015 às 14:24

A prova da Ordem não qualifica ninguém para o exercício da profissão. São 5 anos de faculdade, nos quais os alunos já são submetidos a avaliações. O que deveria acontecer seria uma qualificação das instituições de ensino, o que significaria que, se o aluno foi aprovado por tal instituição, ele está apto ao exercício da profissão. A "prova da OAB" deveria ser para as instituições.

 
Denise em 22 de junho de 2015 às 10:01

É um grande absurdo tal avaliação "O mal profissional não prevalece na profissão". Esta prova não qualifica ninguém, a qualidade esta no próprio aluno; o correto seria o MEC fiscalizar as faculdades de Direito e qualifica-las. Mas como no Brasil tudo gira entorno de dinheiro regrado de patifaria o que podemos esperar de um governo corrupto... nada diferente disto. Fica aqui minha opinião!!!!!!!

 
Ivan Carim Lima em 13 de abril de 2015 às 14:46

ESSE EXAME DA ORDEM É UMA FRAUDE!! É UMA VERGONHA!! NÃO SERVE PRA AVALIAR NINGUÉM!! ISSO É RIDÍCULO!! VAMOS LUTAR ATÉ FIM!! NÃO PODEMOS PERDER MAIS TEMPO COM ESSA PROVA RIDÍCULA!!

 
Leonardo em 08 de abril de 2015 às 18:37

No meu entendimento, o objetivo da existência da OAB deveria ser o mesmo dos órgãos de outras categorias (Sindicatos, Associações, Cooperativas, etc.) que é o de informar, preparar, atualizar e dar condições financeiras (Planos de empréstimos, financiamentos) e sustentadoras para a categoria no exercício da profissão, como era até 1995 e não criarem obstáculos como despesas, pressões, explorações

 
SEBASTIAO CARLOS LADEIRA em 30 de março de 2015 às 09:19

O exame de ordem, acho que não qualifica profissionais,, isso o mercado de trabalho quem
realmente e capaz de
Advogar, acho que é uma maneira de arrecadar dinheiro, se fosse gratuito o
exame de ordem, tenho certeza que não seria exigido. Pois arrecadam bilhões.

 
Andréa Queiroz em 17 de março de 2015 às 14:33

Mentira ! Mentira ! A Universidade de Brasilia, teve o maior número de REPROVADOS. Além de cínicos e
mentirosos, são GULOSOS. O exame da OAB, é uma vergonha total. Não é possível entender as questões e
nem as respostas. É tudo no CHUTE. No faz de conta que acertou. A Palhaçada é UNIVERSAL no Brasil.
Já fiz o exame da OAB e não foi possível ser aprovado. Sou aposentado e tenho tempo para estudar.

 
Ivan de Lima Salles em 11 de março de 2015 às 11:21

Constitucionalmente e iinadmissível tal ratificação para mesma .



 
alexandre em 30 de novembro de 2014 às 11:10
1 2 3 4 5 6 7 8 9